cirurgia-refrativa.jpg

Sou candidato à cirurgia refrativa?

Você já deve ter ouvido que a cirurgia para correção de miopia / astigmatismo / hipermetropia não é segura e que tem muitos riscos. Muitos pacientes procuram o serviço de oftalmologia com desejo de realizar a cirurgia refrativa, mas sem confiança ou mesmo com medo, e acabam desistindo de realizar um sonho.

O papel do seu médico oftalmologista é fundamental para mostrar todas as contraindicações da cirurgia, todos os riscos além de realizar exames que descartem (ou não) os critérios que impossibilitem o procedimento. É necessário muita responsabilidade e planejamento para que a segurança dos seus olhos seja sempre o melhor caminho.

Vamos listar alguns pontos chaves que analisamos antes de ir adiante:

1- Motivação do paciente (finalidade é estética ou funcional?)

2- Idade (não realizamos em pacientes abaixo de 21 anos)

3- Grau estável por mais de 01 ano

4- Antecedentes familiares (muita atenção em pacientes com glaucoma e a espessura da córnea, além do ceratocone)

5- Gestação, portadores de doenças que causem imunocomprometimento

6- Medicamentos (antidepressivos tricíclicos, diuréticos, anti-histamínicos são remédios que interferem no fluxo lacrimal)

7- Doenças preexistentes na retina, glaucoma

8- Casos de ceratoconjuntivite herpética são contraindicados

9- Usuários de lentes de contato devem fazer topografia seriada semanal até que haja estabilidade na regularidade da córnea

Hábitos de vida

10- Pacientes que praticam esportes de impacto e luta não são bons candidatos pelo risco de trauma

11- Pacientes que trabalham em ambientes poluídos, de muito calor ou muito seco também não são bons candidatos

Exame físico

12- Inspeção das pálpebras: contraindicar a cirurgia em pacientes com estropio, ectrópio, lagoftalmo, mau fechamento palpebral

13- Blefarites devem ser tratadas antes da cirurgia

Biomicroscopia

14- Análise do filme lacrimal 

15- Conjuntiva (processos alérgicos devem ser tratados)

16- Córnea (presença de cicatrizes sugestivas de doença herpética contraindica a cirurgia)

17- Refração (realizar refração dinâmica [sem colírio] e estática [com colírio cicloplégico])

18- Tonometria (a pressão intraocular deve ser registrada antes e após o procedimento cirúrgico)

19- Fundo de olho (alterações na mácula, disco óptico ou sangramentos devem ser contraindicados)

20 - Paquimetria (a espessura da córnea é fundamental. Córneas aptas possuem mais de 500 micra)

GALILEI

​É o método de eleição da nossa seção, e nos oferece análise detalhada da face anterior e posterior da córnea, topografia e mapa paquimétrico, medida do diâmetro pupilar e índices que mostram a probabilidade da existência de ceratocone.

galilei.png

Exemplo de um bom candidato à cirurgia refrativa. Exame GALILEI, realizado na clínica CEO Bauru agosto de 2019